sexta-feira, 29 de abril de 2005

Do baú dos versos bem esquecidos

Em jeito de comemoração, regressando um pouco ao espírito inicial do blogue, eis aqui uns quantos versejos vindos directamente do baú das coisas bem esquecidas. Datam de Abril de 1992 e rezam assim:

A Princesa Que

Ela era uma princesa Que
Das muitas princesas
que havia naquele reino
Ela era uma das Que
Senhora do Castelo de Que
Descendendo da linhagem Que
Bela como sei lá o quê

E o seu nariz bicudo
erguia-se no orgulho de
saber ser uma pura Que

No entanto, sem que soubesse
habitavam nas suas veias
algumas gotas De

Sem comentários:

Enviar um comentário