sábado, 29 de julho de 2006

Tomar partidos

Há por aí quem ande a tomar partidos. Também quero entrar no jogo. Vejamos:

Se a única escolha possível fosse entre dois bandos de assassinos, eu escolheria (sempre e irrestritamente) aquele cujos assassinos são menos eficientes, os que assassinam menos gente.

Felizmente essa não é a única escolha possível.

Sem comentários:

Enviar um comentário