segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Lido: Llanto por un Astronauta

Tal como acontece com o decano da FC brasileira, também Domingo Santos, o seu "homólogo" espanhol, nunca foi publicado em Portugal, o que, considerando que houve décadas em que se publicava qualquer porcaria oriunda dos Estados Unidos (hoje já não), diz muito sobre as opções editoriais que foram sendo tomadas ao longo da história da edição de FC entre nós.

Llanto por Astronauta é um conto melancólico de FC soft. Ambientado no centenário da Era Espacial, mostra-nos um ex-astronauta desencantado com a sua vida e com aquilo que aconteceu ao programa espacial, a sua transformação, de um movimento heroico na direção das estrelas, numa coisa banal, movida pelos interesses económicos, industriais e outros. É um conto razoavelmente típico dos escritores de FC de uma certa geração, aqueles que assistiram maravilhados aos primeiros passos da Humanidade fora do nosso planeta e se foram aos poucos desiludindo com o rumo que os programas espaciais foram tomando, bem distante dos amanhãs que cantam das primitivas promessas. Li-o com alguma irritação, porque dificilmente seria possível discordar mais de muito daquilo em que ele se baseia. Mas reconheço-lhe qualidades. Domingo Santos é um experiente contador de histórias (e tem de o ser, com onze romances publicados desde os anos 60 e várias coletâneas de contos) e, ajuizando por este exemplo, conta-as bem, com um estilo limpo e eficaz. Quem quiser ver por si próprio, pode lê-lo aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário