terça-feira, 16 de março de 2010

Lido: Telhado Roto

Julgo que começo a entender o que António Eça de Queiroz pretende fazer com os seus contos/capítulos: um romance em mosaicos centrado no seu protagonista, um tal Lamas. Talvez. Seja como for, este Telhado Roto é um conto com uma forte atmosfera de realismo mágico em que, sob o pretexto de descrever o casarão da família, se fala dos seus antepassados aristocráticos. E muito desaparafusados. Curioso, mas enquanto não tiver a certeza sobre a natureza do livro não entrarei em apreciações qualitativas que vão além disto.

Sem comentários:

Enviar um comentário