quinta-feira, 19 de julho de 2012

Mais dois contos no II

Desde que falei dele, aqui, o Infinitamente Improvável cresceu. Recebeu uma vinheta de João Ventura, Sem Maneiras, sobre... bem... sobre excessos e as suas consequências, numa escala verdadeiramente cósmica. E uma noveleta (sim, sim, noveleta) de Tibor Moricz, a primeira participação brasileira. Esta, intitulada Variável da Imponderabilidade, é uma história de ficção científica que nos apresenta uma sociedade organizada de forma infinitamente improvável e nos mostra aquilo que um homem tem de fazer para ganhar as eleições. Ou não.

Contava ter por esta altura duas ou três histórias lá publicadas. Tenho cinco. Há aqui um certo ultrapassar de expetativas. Se perdurar, será excelente.

O que ainda não há é nenhuma história inspirada noutra. O tal diálogo ainda não se estabeleceu. Sempre achei que seria essa a parte mais complicada da ideia — suficientemente complicada para fazer com que alguns autores pusessem logo de parte a ideia de participar — e parece confirmar-se, embora ainda seja cedo para o afirmar taxativamente.

A ver vamos...

2 comentários:

  1. Olá Jorge :)

    Penso que o processo de histórias surgidas a partir de outras histórias no II levará seu tempo, mas acabará por funcionar.

    A primeira dificuldade é ter uma massa crítica de contos. Isso leva algum tempo.

    Depois, há que vencer o que pode ser uma certa "inibição", perfeitamente compreensível, de que ao realizar uma história que nasce de outra, estamos, de algum modo, "interferindo" no trabalho do outro.

    Tudo perfeitamente contornável.

    E acredito que essa ideia é fenomenal e é o diferencial principal do II.

    ResponderEliminar
  2. Sim, eu sei. Este meu comentário foi mais um espicaçar do que um lamento. Uma forma de dizer: "vá, não se esqueçam de que é assim que isto funciona." :)

    ResponderEliminar