quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Lido: Contos Lendários

Contos Lendários é uma pequena antologia que reúne duas histórias de dois grandes escritores que têm em comum tratar-se de novas narrações de antigas lendas. Este recuperar do material legendário como matéria-prima literária foi algo que esteve muito em voga no século XIX e que, embora com menos frequência — até porque já é difícil encontrar material razoavelmente "virgem" para tratar, em particular no legendário de origem europeia —, continua a fazer-se até hoje.

As duas histórias aqui incluídas têm também em comum o fundo cristão... muito embora seja provável que a mais remota origem de ambas seja anterior ao cristianismo. Quem estuda estas coisas diz que era muito comum o povo continuar a contar as velhas histórias, alterando-as por forma a não colidirem com o ambiente religioso dominante. O mesmo que acontecia, aliás, com muitos outros costumes. Não é por acaso que são várias as religiões que têm celebrações por volta dos solstícios e dos equinócios, datas de celebração antiquíssima por estarem diretamente relacionadas com os ciclos anuais do planeta.

Isto quer dizer que esta antologiazinha tem bastante interesse antropológico, digamos, precisamente devido à proximidade que existe em ambas as histórias entre o tratamento literário e as lendas que ele tem por base. Mas para além disso, no que toca concretamente às histórias, são dois bons contos, escritos por dois bons escritores. Pessoalmente, gostei bastante mais do de Lagerlöf do que do de Flaubert, mas isso é questão de gosto e também reconheço qualidade a este último.

Eis o que achei dos dois:
Este livro foi comprado.

2 comentários:

  1. Li os contos em diferentes antologias publicadas no Brasil e gostei de ambos. É preciso ter em mente a época em que foram escritos, como você mesmo disse.

    ResponderEliminar
  2. Exato. E, ao contrário do que acontece noutras destas pequenas antologias, fica aqui bastante claro que se trata mesmo de dois grandes escritores, mesmo que os contos possam nem agradar lá muito.

    ResponderEliminar