domingo, 21 de outubro de 2012

Lido: A Lenda da Rosa

A Lenda da Rosa é um conto de Selma Lagerlöf, adaptação de um conto popular sueco. Como é costume acontecer nos contos populares europeus, trata-se de uma história com moral, de fundo cristão, cujos protagonistas são dois frades, um bondoso, pronto a perdoar pecados passados, outro temeroso e inflexível, e a família de um antigo ladrão que vivia escondida na floresta visto que o ladrão era procurado pela justiça. No centro do enredo estão jardins. Um jardim banal, o do convento, que não obstante era motivo de orgulho e prazer para o frade bondoso, e um jardim milagroso e lendário, o da floresta que, segundo afirmava a família dos bandidos, era muito incomparavelmente mais belo que o do convento mas só floria um dia por ano.

Sem fugir de uma certa previsibilidade inerente à sua origem lendária, o conto é tão interessante e está tão bem escrito como seria de esperar de algo saído da pena de um prémio Nobel da literatura. E para mim teve ainda o interesse acrescido de me fazer lembrar um conto de ficção científica de João Barreiros: Noite de Paz. Por estranho que isso possa parecer. Gostei bastante.

Sem comentários:

Enviar um comentário