sábado, 17 de novembro de 2012

Os tornados

Se bem entendi, houve hoje dois tornados na minha zona, um a ocidente, outro a oriente de onde eu estava. O maior, e mais grave, parece ter chegado a terra uns 6 km a leste da minha casa, a ocidente do Carvoeiro, e depois seguiu mais ou menos em linha reta para nor-nordeste, para as Sesmarias, depois para o Pestana Golf Resort, e até ao parque aquático Slide and Splash. Aí, aparentemente, virou um pouco para leste e foi atingir em cheio um dos bairros mais recentes de Lagoa, na ponta noroeste da cidade. Em seguida, prosseguiu para nor-nordeste, num trajeto mais ou menos paralelo à da estrada de Silves, acabando por atingir esta cidade em cheio. O impressionante vídeo abaixo mostra-o a cair sobre o campo de futebol do Silves FC, que fica na ponta sul da cidade, mas há relatos de estragos entre a piscina, que fica um pouco para oeste, e pelo menos a ponte medieval, que se localiza a meio de Silves, cerca de 500 m a leste da piscina. Os relatos afirmam que o tornado terá depois atravessado a cidade e desaparecido na serra, a norte.



O outro parece ter chegado a terra já em fase de dissipação, na Ria de Alvor, uns 5 km a oeste da minha casa, e aparentemente provocou estragos de pouca monta na vila de Alvor e nos Montes de Alvor. Aparentemente ter-se-á dissipado por completo antes de chegar ao aeródromo de Portimão. Este vídeo, que não permite embedding, foi filmado de Odiáxere, e mostra-o a entrar Ria de Alvor dentro. Aquela zona de terreno elevado que se começa a ver cerca dos 2 minutos e atrás da qual o tornado desaparece é, julgo, a Quinta da Rocha, uma arriba fóssil que divide a ria em duas.

E eu, aqui no meio, sinto-me um bocado como um alvo numa carreira de tiro. Um alvo incólume por as balas terem passado ao lado. Por enquanto. Até quando?

Sem comentários:

Enviar um comentário