quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

A sequência consonantal CT

E eis-nos no centro da polémica (em Portugal): a sequência consonantal CT, que tantas vezes tende para o emudecimento do C. Trata-se da mais abundante das sequências consonantais afetadas pelas mudanças na ortografia, e o Vocabulário da Mudança inclui um total de 1574 vocábulos que contém essa partícula. Nem todos, porém, sofrem alterações. Há uma parte desses vocábulos em que o C se articula sempre, logo se mudanças há na sua grafia elas devem-se a outros fatores. Neste último grupo contam-se pouco mais de 100 vocábulos; aqueles em que o emudecimento do C leva a alterações ortográficas somam 1470.

É uma fatia considerável do VdM, a segunda maior, logo atrás da acentuação da sílaba tónica. E o que acontece a essas palavras com a mudança ortográfica é o seguinte:
  • Contam-se 983 casos de grafias anteriormente divergentes que hoje são duplas, por vezes (quando ao emudecimento do C se somam outras alterações) triplas e num punhado de casos chegam a ser quádruplas.
  • O número de casos de grafias anteriormente idênticas e que continuam a ser idênticas é muito baixo: apenas 5.
  • 416 casos de convergência.
  • Os casos de divergência são 66.
  • Entre as convergências, a esmagadora maioria faz-se para a anterior forma brasileira: 409.
  • Não existe qualquer convergência para anteriores formas portuguesas. Mas há 7 para formas novas.
Esta sequência consonantal, sozinha, é responsável por cerca de 2/3 das convergências para a antiga grafia brasileira, e é por isso que os caturras (e principalmente os que ultrapassam a simples caturrice e entram de cabeça xenofobia dentro) tanto gostam de falar dela. Ao se "esquecerem" de todas as outras mudanças podem apontar para estes números e rasgar as camisas de indignação. O azar deles é que as outras mudanças também existem. E também contam.

Mas mesmo só olhando para aqui, falar-se em divergência ortográfica é completo disparate: a vantagem da convergência sobre a divergência é de mais de 6:1.

É também aqui que aparece a maior parte dos casos de que falo neste post.

Sem comentários:

Enviar um comentário