sábado, 2 de Março de 2013

Hoje

Hoje houve uma repetição do 15 de setembro. Mas uma repetição, pelo menos no caso de Portimão, em maior, com mais gente, com mais força, e com mais alegria graças à presença dos Homens da Luta na parte final da manifestação. Também com bastante mais frio. Mas foi bom. Foi muito bom. Foi mais um passo num caminho que é longo e difícil.
Alguém um dia disse que o caminho se faz caminhando. E foi isso que fizemos, provavelmente mais de 4 mil pessoas (vi estimativas de 3 mil, vi estimativas de 5 mil, inclino-me mais para as segundas que para as primeiras): caminhámos. E protestámos. E gritámos a nossa revolta contra tanta estupidez, tanto assassínio económico. E grandolámo-los a todos. E enchemo-los de azia.

Para mim, a coisa teve ainda um insólito adicional. Quando cheguei a casa, liguei o computador e tuitei:
De volta a casa. Cansado. Rouco. Com as mãos inchadas e vermelhas de tanto bater palmas. Feliz. Foi a maior manif de sempre em Portimão
Fui algumas vezes retuitado, nada de especial. Mas qual não é o meu espanto quando, ao ver o telejornal da RTP 1, deparo com esta cena:
Reconhecem-nos? É o Alexandre Brito, ali, de pé. E no écran gigante, aquela manchinha cor de pele, sou eu. O Alexandre naquele momento está a dizer o meu nome, ou a começar a ler o tuito; depois a cena muda para um écran completo do twitter e a leitura prossegue. Se quiserem ver o segmento, chama-se Manifestações nas redes sociais. E inclui mais dois tuitos, de outras pessoas, várias fotos e as primeiras reações da imprensa online, nacional e estrangeira.

A manifestação foi histórica. A maior de sempre em Portimão, com provável exceção das primeiras grandes manifestações após o 25 de Abril. Apenas provável porque a essas não assisti. Seguro é ter sido maior que a de 15 de setembro. Seguro é ter sido a maior a que eu assisti, em que estive presente, numa terra sem grande tradição de se manifestar, habituada a ver desfilar meia dúzia de gatos pingados. Em 15 de setembro fomos muito mais que meia dúzia de gatos pingados, e hoje fomos mais ainda. Hoje, voltámos a fazer história.

E o pós-manifestação, para mim, foi divertido, muito divertido.

Venha a próxima! A menos que o governo caia entretanto. Isso é que era o melhor resultado possível.

Sem comentários:

Enviar um comentário