terça-feira, 12 de março de 2013

Lido: Pequenos Mistérios

Pequenos Mistérios (bib.) é uma coletânea de Bruce Holland Rogers, composta quase por completo por histórias muito curtas, entre o conto curto e a vinheta, e também quase todas enquadráveis na fantasia. Não naquilo que muitas vezes se entende como fantasia, a épica, de traços medievais, à Tolkien ou à Martin, mas numa fantasia do quotidiano, próxima do realismo mágico e por vezes com traços mais ou menos fortes de um certo horror existencial. O que confere unidade a este livro, contudo, é mais a voz do autor do que outra coisa qualquer. Uma voz muito subtil, que se socorre com alguma frequência de uma abordagem inusitada ao banal para subverter aquilo que em princípio talvez fosse demasiado familiar. Uma voz que é muito mais observadora do que interventiva. Uma voz muitas vezes bem humorada, mas cujo humor vem sempre salpicado de melancolia; um humor de sorriso, não de gargalhada. E uma voz poética sem que para o ser precise de qualquer tipo de floreado literário; a poesia que contém está nas histórias propriamente ditas, e por isso é mais profunda do que as demãos de lirismo passadas sobre textos vazios que tantas vezes aparecem impressas por aí.

Não gostei por igual de todas estas histórias, naturalmente. Mas em todas vi um autor no pleno domínio da sua técnica narrativa, que conta precisamente aquilo que quer contar e como quer contar. Não vi aqui nenhuma história que achasse má, só algumas que não me interessaram muito. E vi várias que achei magníficas, claramente do melhor que tenho lido nos últimos anos em ficção curta. Por vezes, pareceu-me encontrar nestas histórias traços de Ray Bradbury, de outras vezes vestígios de Lorde Delany, mas se essas me parecem influências razoavelmente claras, não maculam de nenhuma forma a unicidade de Rogers. Também aí, na forma como as influências são amalgamadas e retrabalhadas para produzir algo de original este livro é bastante interessante. Na verdade, em muitos aspetos, Pequenos Mistérios é uma lição de como escrever ficção curta. Muito bom.

Eis o que achei dos seus muitos contos:
  1. Histórias
  2. Metamorfoses
  3. Insurreições
  4. Contos
  5. Simetrinas
Este livro foi comprado.

Sem comentários:

Enviar um comentário