sábado, 18 de maio de 2013

Lido: Suor Engarrafado

Suor Engarrafado é um pequeno conto fantástico e surreal de António Cabral que descreve o modo como uma exploração vinícola duriense vai inovando no fabrico do vinho, de uma forma insólita, através da adição de suor. Suor esse que é recolhido das camisas dos trabalhadores, e que empresta ao vinho uma qualidade superior... de tal modo que, no decorrer da experimentação e do aprimoramento da mistura, a proporção de suor vai aumentando de tal forma que o produtor tem de montar uma operação quase industrial de fornecimento de camisas aos trabalhadores, a fim de recolher o suor que as empapa. E no fim... bem, digamos apenas que as coisas não acabam bem.

Há aqui, claro, uma forte componente alegórica. Mas o conto não se resume a ela. Está bastante bem escrito e, embora pareça ser algo escrito ao fluir das ideias, aproveitando associações inesperadas de ideias como combustível, está também bastante bem concebido. Gostei bastante deste conto.

Textos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário