quinta-feira, 20 de junho de 2013

Lido: O Prometeu Agrilhoado Hoje

O Prometeu Agrilhoado Hoje (bibliografia) é uma coletânea de António Cabral, muito centrada no Douro vinhateiro, composta por histórias bastante mais variadas na abordagem do que no ambiente. Com uma pegada mais mainstream do que qualquer outra, inclui no entanto histórias fantásticas e outras em que desponta um certo surrealismo de cariz poético. Aliás, o livro inclui vários poemas, a maioria incluída nalguma das histórias mais longas, mas também um independente que foi o texto que, de todos, menos me agradou.

Em geral, é um livro que se lê bem, pesem embora algumas falhas e pese embora também conter algumas histórias em que reconheço qualidade mas que não apelam ao meu gosto pessoal. Mas, talvez com a exceção do poemita que encerra o volume, não houve nenhuma história que me tenha realmente desagradado, e houve pelo menos duas ou três de que gostei bastante. Curiosamente, aconteceu com este livro algo que não é habitual. Em muitas coletâneas e antologias, em especial se não existe uma ordem cronológica que pretendam seguir (e aqui julgo que não há), procura-se começar e terminar com contos fortes, diluindo os que não são tão bons pelo miolo. Aqui, a ideia parece ter sido outra: primeiro os textos mais longos, e toca a ir reduzindo as dimensões mais para a frente. Ora, os melhores dos contos de António Cabral são, a meu ver, precisamente os de tamanho intermédio, o que faz com que nem o arranque nem a conclusão do volume lhe façam realmente justiça. Não me parece lá muito boa ideia.

Eis o que achei sobre as histórias individuais:
Este livro foi comprado.

Sem comentários:

Enviar um comentário