quinta-feira, 4 de julho de 2013

Lido: Pagamento Zero

Pagamento Zero é um pequeno conto/crónica/depoimento irónico e de certa forma fantástico, de José Alberto Braga, sobre um homem que tem uma ideia genial para ficar mais rico que Midas: reivindicar a posse do... zero (sim!) e exigir uma taxa pelo uso do número e da palavra. Braga pretende "apenas" fazer humor, e por isso não leva a ideia aos limites do absurdo, o que de certa forma é, para o meu gosto, uma insuficiência. Mas a verdade é que mesmo assim consegue espetar um agulhão eficaz na tendência que tem havido nas últimas décadas de registar a posse e invenção das coisas mais disparatadas. Quem não se lembra do processo que opôs recentemente a Apple à Samsung, com uma empresa a reivindicar violação de direitos de autor por parte da outra devido à "cópia" daquela espantosa inovação chamada... cantos arredondados? É mais ou menos por aí que Braga envereda, pela crítica (ou pelo gozo, o que vai dar ao mesmo) deste tipo de abuso corporativo e, embora o seu conto(?) não seja nenhuma obra-prima da literatura, é eficaz. E faz sorrir.

Texto anterior deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário