quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Lido: Para Tudo se Acabar na Quarta-Feira

Para Tudo se Acabar na Quarta-Feira (bibliografia) é um conto muito brasileiro, ou até muito carioca, de Octávio Aragão, integrado no universo intempoliano que criou. Centrado no ambiente dos bandidos das favelas cariocas e do carnaval, conta uma história tão violenta como movimentada sobre como um determinado grupo de bandidos tem o primeiro contacto com a Intempol e aquilo que ela é capaz de fazer. Para quem já conhece o universo de outras histórias, sejam de Aragão, sejam de outros autores, o conto é muito bom, e o enredo enovelado típico das histórias sobre viagens no tempo, que aqui se interseta com ideias sofisticadas sobre a realidade dos mitos (numa frase: se todos os mundos são possíveis, então os mundos que inventamos são tão possíveis como aquele em que vivemos), está muito bem conseguido, o que é ajudado por uma linguagem adequadamente ágil e... bem, viril. Só não sei bem se o conto resulta junto de quem toma contacto com a Intempol pela primeira vez através dele, em particular se não são brasileiros e portanto não só sofrem algumas hesitações causadas pelas diferenças dialectais, como só possuem uma ideia razoavelmente vaga do ambiente das favelas cariocas. Li algumas opiniões que me levam a crer que não, o que me faz pensar que talvez tivesse sido aconselhável publicar também uma breve introdução ao universo neste livro em contreto. Noutro tipo de publicação, mais especificamente intempoliana, isso não seria necessário. Aqui, talvez fosse.

Seja como for, não há dúvida de que, como sequência de uma série de histórias anteriores, esta história é francamente boa.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário