terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Por Vós lhe Mandarei Embaixadores, o livro

Quem acompanhou a série sobre edição que vim publicando aqui na Lâmpada nos últimos tempos, terá possivelmente reparado nas fotos que a ilustraram. Todas, com a única exceção da que ilustra a página de índice, são fotografias de pormenores de páginas, capa, lombada, de um livro novo. Chama-se Por Vós lhe Mandarei Embaixadores, é romance, é meu, e a capa é esta:

Fazer esta edição em papel é um projeto já antigo, que deveria ter acontecido logo em 2008 mas, por uma série de vicissitudes, não avançou. Entretanto, foi-se passando o tempo, foram acontecendo coisas e, estranhamente, o livrinho foi ganhando cada dia mais atualidade mesmo que algumas das suas personagens subliminares tenham dado lugar a outras. Por isso mesmo, ao longo do verão passado, ao mesmo tempo que tive tempo para amadurecer as últimas ideias que vieram a desembocar na tal série sobre edição, tive-o também para me deixar de adiamentos, fazer uma última revisão global ao romance, desarrincar uma capa (que em papel é menos berrante do que aqui parece, embora o tema do livro calhe bem com uma capa berrante) e mandar imprimir uns quantos exemplares. A ideia era ter tudo pronto para o lançar no aniversário do meu velhote, a 30 de novembro, mas porque a vida me correu melhor do que estava à espera (não contava ter trabalho, e tive), não consegui preparar as coisas a tempo.

Tenho-as agora preparadas. E por isso apresento agora o livro a quem o quiser. Não é a altura ideal (loge disso, na verdade), mas foi a que se pôde arranjar. Fica a lição para o futuro: há que preparar as coisas com mais antecedência ainda.

Mas falemos do livro em si.

Como a capa diz, trata-se de uma sátira com cientistas loucos, extraterrestres drogados, políticos histéricos e pelo menos uma gaja boa. A contracapa tem elogios (inteiramente genuínos... coff coff...) ao autor e à obra. E o miolo tem o que foi publicado em 2007 e 2008 no blogue respetivo, que agora reabre como central de informações sobre a edição física, mas numa versão melhorada e ligeiramente ampliada, atualizada e acrescentada. Melhorada porque foram assassinadas implacavelmente dezenas de gralhas e foram reescritos parágrafos inteiros, que na versão primitiva estavam algo... primitivos. Atualizada porque a ortografia agora é outra. Acrescentada porque o livro em papel contém também uma breve introdução que explica a génese da coisa e um posfácio que faz parte integrante do todo mas nunca tinha sido publicado.

Quem quiser divulgá-lo tem lá no site uma sinopse (onde diz "sinopse", sim) e mais uma série de informações úteis também para quem quiser lê-lo. Mas vou acrescentar aqui mais uma:

Este livro é o primeiro que publicarei desta forma, mas não será o último. E pretendo fazer com eles outras formas de personalização, além das descritas no site do livro. Para já, são aquelas. Mas de futuro planeio descontos no segundo livro para quem comprou o primeiro, por exemplo. Concurso de melhor foto de leitor-com-livro com o segundo livro como prémio, por exemplo. Coisas dessas.

De hoje em diante, pretendo pôr cá fora, no mínimo, um livro por ano. É, entre outras coisas, uma forma de traçar um objetivo claro para a produção de ficção, embora nem todos os livros que tenciono lançar sejam de ficção. E embora esse objetivo seja uma média; pode haver anos em que publico dois livros, ou até três, pode haver anos em que não publico nenhum. E nem todos, espero, serão publicados desta forma.

Mas vou esforçar-me para estar bastante mais presente do que tenho estado até aqui, com lançamentos regulares de novidades. É uma promessa que faço a quem gosta do que eu escrevo. Eu sei que andam aí uns quantos.

Sem comentários:

Enviar um comentário