quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Lido: Velhice Transviada

Velhice Transviada é um dos mais interessantes textos deste livro de José Alberto Braga. Escrito em torrente, na primeira pessoa, por um velho rabugento, é um pequeno conto do quotidiano com literatura inclusa, fugindo assim ao padrão habitual de Braga, que geralmente prefere o humor, mais ou menos bem sucedido, à literatura. Aqui, existe ironia, mais fina que o costume, e a forma como está escrito é bastante eficaz a sugerir a taralhoquice e resmunguice da idade. Até os trocadilhos que Braga tanto aprecia são aqui contidos. Existem só alguns, nos sítios adequados, sem se notar o que tantas vezes se nota nos textos que ficaram para trás: que a vertigem do gag se sobrepõe à história ou situação que se quer contar. Sim, acho mesmo que este texto é bom.

Textos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário