segunda-feira, 3 de março de 2014

Lido: Acredite se Quiser

Acredite se Quiser é mais uma daquelas listas de trocadilhos de que há muito pouco a dizer. José Alberto Braga parece gostar muito delas, atendando à sua frequência nos textos que se somam para formar este livro, mas nem sempre compartilho dessa sua preferência. E este é um dos casos em que definitivamente não compartilho. Não só se trata de uma lista bastante simples de máximas ao estilo de "para quem morre, a vida não existe" ou "para quem mora na China, o rio Tejo é invisível" que, ao contrário do que acontece com outras destas listas, não trazem nenhuma espécie de história incluída, limitando-se à gracinha, como esta, a gracinha, tem pouquíssima graça. Inteiramente dispensável.

Textos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário