sábado, 12 de abril de 2014

Lido: O Peixe e o Homem

O Peixe e o Homem é mais um continho fantástico de Mia Couto, cheio daquelas coisas que tornam os textos do autor tão saborosos e de que já falei o suficiente ao longo destas histórias, motivo pelo qual falarei apenas da história propriamente dita. É uma história insólita, sobre a normalidade, ou sobre a normalização que a sociedade impõe às pessoas e que algumas decidem ignorar. Um homem, o narrador, é abordado por um outro homem, seu vizinho, que o bairro tem como excêntrico ou louco. Que tem de passear o peixe no lago do parque mas não pode, diz-lhe ele, que se lhe acaba a vida, se o vizinho faz o favor de substituí-lo. E o vizinho, entre vergonhas e embaraços, lá acaba por ceder, tanto ao passeio do peixe, como à transferência da responsabilidade, ou da excentricidade, ou da loucura. Isto, de uma forma muito resumida, pois o conto tem mais conteúdo, ou não fosse inspirado pelo Sermão de Santo António aos Peixes do Padre António Vieira. Muito bom mesmo.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário