sábado, 8 de novembro de 2014

Opiniões pessoalíssimas e intransmissíveis, quarta parte

Cá está a quarta parte desta série, com mais uma vintena de artigos. Aproximamo-nos do fim.

51. Alterações Climáticas, Campo Aberto da Luta de Classes - Um artigo sobre os efeitos assimétricos que as alterações climáticas estão a ter e virão a ter no futuro sobre as pessoas, contendo uma crítica feroz ao capitalismo que as potencia. Concordo em pleno com a crítica, mas não me esqueço da assombrosa devastação ecológica que teve lugar em sistemas de economia planificada como a URSS, vários países da Europa de Leste ou a China. O problema, portanto, não é só de capitalismo, vai mais fundo do que isso. É um erro assacá-lo apenas ao capitalismo. Não tenho respostas concretas para este problema, mas uma coisa sei: não chegaremos nunca à resposta correta se a basearmos em pressupostos errados. (Moção U)

52. Feminismos Socialistas Como Ação Comum Para o Bloco de Esquerda - Um artigo muito bom que alarga o conceito de feminismo às múltiplas lutas contra as desigualdades e as descriminações (o que não me parece necessário, mas é uma ideia interessante) e parte daí para propor uma atitude de abertura do Bloco não só a outros grupos de esquerda como à própria sociedade. Estou quase inteiramente de acordo com o que aqui se diz. (sem moção, talvez -- não encontro o nome completo nas listas de subscritores, mas há em duas (U e E) uma versão encurtada)

53. Balanços e Lições de um Século que se Fecha e de Outro que se Abre - Um artigo muito bom, também muito teórico, cheio de citações, sobre a sociologia política global nesta viragem de século. Tendo a concordar, embora não por inteiro. (Moção U)

54. Primeiro a Política, Depois as Coordenações - Mais um artigo de gente de uma moção, a U, a pôr pontos nos is relativamente ao afirmado por gente de outra, a E, a propósito de acontecimentos ocorridos na cúpula do partido. Ou seja: mais diz-que-disse que não tenho como avaliar. E como na verdade e com toda a franqueza este diz-que-disse não me interessa nada, passo. (Moção U)

55. O Tratado Orçamental e a Centralidade da Questão Europeia - Artigo sobre aquilo que o título indica. É uma explicação muito bem feita do que está em causa e dos dilemas que nos confrontam. À parte alguns pormenores semânticos, estou plenamente de acordo. (Moção U)

56. Vantagem e Desvantagem de um Gambozino Para a Política do Bloco de Esquerda - Mais um artigo de gente da moção U a desmontar argumentário da moção E. Como desta feita o alvo é a ideia peregrina de que a questão central da política portuguesa no futuro próximo é a Constituição, concordo com a desmontagem. Mas não concordo nem com o tom, nem com muito do que é dito. Na verdade, ao contrário do que aqui se afirma, todas as intervenções de dirigentes afetos à moção E mostram que convergências ao centro (ou para onde seja, temo bem) são o que mais longe está das suas intenções. (Moção U)

57. Algumas Ideias Sobre Como Recuperar a Organização Chamada Bloco de Esquerda - Um artigo basicamente sobre a atitude do Bloco para consigo próprio e para com os outros. Era gajo para subscrever cada vírgula... ah, espera. Olha: já subscrevi. Aliás, já escrevi. (Moção B)

58. Uma Questão de "Paridade" - Um artigo sobre os problemas e limitações da representação territorial nos órgãos dirigentes do partido. Compreendo e concordo com a análise dos problemas, mas não posso concordar com a solução proposta porque ela irá distorcer a proporcionalidade da representação. É muito preferível adotar-se um sistema de listas semiabertas, que permita que, sempre que uma distrital não consiga eleger ninguém diretamente para a Mesa, o elemento dessa distrital que acabe mais perto da eleição ultrapasse os candidatos anteriores da sua lista. (Moção A)

59. Acerca da Cultura Democrática (ou da Falta Dela) - Um artigo sobre os problemas levantados pela forma como está institucionalizada a elaboração das moções, a arregimentação de subscrições e o calendário de debates e de apresentação de candidaturas. Concordo por inteiro. (Moção A)

60. Não Desistir do Arrojo - Um bom e claro artigo sobre as esquerdas e que opiniões se confrontam quanto ao que fazer para as unir (ou não) neste momento histórico específico. Estou quase inteiramente de acordo com ele. (Moção U)

61. A Posição do BE na Votação da Proposta do Orçamento de Estado - Um artigo que propõe que os deputados do BE saiam do parlamento no momento da votação do orçamento de estado. Parte de uma ideia demasiado comum em certos setores, especialmente entre os ativistas da abstenção: a de que a participação nas votações, mesmo votando contra, de alguma forma legitima as decisões nelas tomadas. Acho que esta ideia é um erro completo: a legitimidade existe sempre, quer se participe, quer não se participe, porque é sobretudo uma questão de organização institucional das coisas. E as ausências só beneficiam o infrator. Ganhar por 51% ou por 80% não é a mesma coisa. Péssimo. (sem moção)

62. O Direito a uma Vida Digna e a Emancipação Pelo Trabalho - Artigo sobre a ideia da criação de um Rendimento Básico Incondicional e a atitude do Bloco perante essa ideia. É um bom artigo, propondo um debate aprofundado sobre o tema, com o que concordo, embora tenha muitas reservas quanto ao próprio RBI: é que fiz umas continhas rápidas e percebi que mesmo para instituir um pequeno RBI é necessário orçamentar uma montanha de dinheiro. Gosto da ideia, gostaria que fosse viável, mas não me parece que o seja. No entanto, oxalá alguém me prove o contrário. (Moção R)

63. A Propósito de Fábulas - Mais um artigo a pôr pontos em is, desta feita de um dirigente da moção E contra a U. Com muitas coisas discutíveis e defendendo com toda a clareza para quem souber ler entrelinhas o completo isolamento do Bloco. Péssimo. (Moção E)

64. Por Uma Política Coerente de Defesa dos Direitos dos Animais - Artigo cujo tema o título define bem, contém muitas coisas com que concordo plenamente, nomeadamente no que toca às touradas, mas vai, a meu ver longe demais, nomeadamente no que diz a propósito da experimentação animal (é completamente falso que o contributo desta para as ciências biológicas seja "fraco," por exemplo). Ou seja: tendo a concordar mas com reservas. (Moção U)

65. Para Além das Moções... o que Está em Causa - Artigo, mais um, de confronto direto entre as moções U e E. Este é de alguém da U contra a E. Com algumas coisas certas, mas com demasiadas afirmações no mínimo discutíveis. Quanto mais artigos destes leio mais me convenço de que a solução não está nem numa nem na outra: parece haver em ambas uma completa incapacidade e ausência de vontade para dialogar, quando é de diálogo e de pontes, tanto internas como externas, de que realmente precisamos. E ainda por cima quase me copiou o título do meu artigo expandido. (Moção U)

66. Suspender os Exames no Básico e Correr com o Crato - Repor a Decência na Política - Um artigo irritado sobre as cratinadas do início deste ano letivo. Estou inteiramente de acordo com ele, mas a bem dizer para repor a decência na política não basta correr com o Crato; seria preciso correr com muito mais gente. (várias moções)

67. Democracia e Votos por Correspondência - Artigo muito crítico sobre a existência de votação por correspondência no BE. Concordo parcialmente. Penso que o verdadeiro problema é o abuso da votação por correspondência (mas concordo inteiramente que o abuso é um problema verdadeiro, existente e grave), não os votos em si, e que há formas de solucionar esse abuso sem passar pela sua eliminação pura e simples. Esta é a minha principal divergência com a moção que apoio. (Moção B)

68. O Bloco, o Desafio de Unidade e Luta Contra a Austeridade - Artigo escrito de forma algo confusa, sobre a situação europeia e a política de alianças, defendendo abertura a todas as convergências possíveis no quadro de uma real quebra com a austeridade. Não partilho do otimismo do autor quanto à impossibilidade de o PS ganhar eleições sem nenhuma espécie de viragem à esquerda, mas tenho pena e gostaria muito de estar enganado. E é evidente que estou de acordo que a convergência com um PS realmente disposto a, por uma vez, seguir mesmo pela esquerda num eventual futuro governo deve estar em cima da mesa. (Moção B)

69. O Mais Arriscado é não Arriscar - Outro artigo confuso e muito equivocado, que se vangloria de o Bloco ter "vencido a sua mais difícil batalha destes quinze anos" porque saíram militantes e até fundadores, sem sequer parar cinco segundos para reconhecer o facto de que ao mesmo tempo que isso acontecia saíam também dois terços do eleitorado (a menos que isso também seja uma "grande vitória"), o que se calhar tem algum impacto na apregoada necessidade de gerar "alternativas amplas, consistentes, percetíveis e viáveis acumulando forças para derrotar o poder do capital." E por aí fora. Enfim. Mais um artigo muito mau. (Moção U)

70. Direito a ter Direitos - E mais um artigo a defender a ideia de que o centro do combate político no futuro imediato é a Constituição. Já antes mencionei o quanto esta ideia me parece descabida (precisamente porque em questões constitucionais as posições do PS não são dúbias), portanto não vou voltar a fazê-lo. Concordo com o que aqui se diz sobre as virtudes da Constituição, discordo da ideia de que ela está realmente em causa. (Moção E)

Quem queira, já sabe: também há as partes um, dois e três.

Sem comentários:

Enviar um comentário