sábado, 14 de fevereiro de 2015

Lido: O Jardim Diabólico

O Jardim Diabólico (bibliografia) é uma antologia temática, já de idade algo avançada, que colige histórias de ficção científica e horror sobre estados vegetais alterados, mais ou menos inexplicados ou inexplicáveis e por isso mesmo perigosos. Com alguns nomes sonantes e alguns ilustres desconhecidos, é daquelas antologias que logo à partida se encaram com interesse porque o tema comum é interessante mas também com cautela porque o conjunto de autores faz temer que seja desequilibrada.

E é mesmo.

Há aqui contos de quase todas as qualidades, do excelente ao francamente mau, só faltando mesmo uma história péssima para deixar o ramalhete completo. Mas, além de ser desequilibrada, é também uma antologia que vale a pena ser lida: sou há muito de opinião que basta conter um conto francamente bom para que uma antologia valha a pena, e esta não é exceção. Vale pelo conto de Bradbury e por mais alguns, apesar dos dois ou três contos muito dispensáveis que também contém.

Também é uma antologia curiosa porque mostra com grande clareza algo sobre a psique humana. É curioso que em tantos destes contos a vegetação ameaçadora seja uma vegetação luxuriante, agigantada, descontrolada, que derrota o esforço "civilizador" do homem através da força pura do crescimento. É a selva invasora, com os seus horizontes limitados e a sua abundância de esconderijos onde podem estar ocultos perigos de todos os géneros, a criar inquietude e ameaça. É curioso que isto se possa encontrar em tantos dos contos, independentemente da qualidade de cada um e independentemente também de serem modernos (em relação à publicação original da antologia em 1976, bem entendido) ou não.

Não é uma boa antologia? Não, não é. Mas é uma antologia razoável e com um interesse muito próprio.

Eis o que achei das histórias individualmente consideradas:

Este livro foi comprado.

Sem comentários:

Enviar um comentário