sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Capa de revista

Acontece cada uma a um gajo...

Aqui há coisa de um mês, recebo um contacto no facebook, de um antigo colega meu dos tempos em que andei a trabalhar na imprensa regional. Que queria falar comigo. Que estava a colaborar com uma revista algarvia e achava interessante entrevistar-me, por causa do Martin, e tal, e da Guerra dos Tronos, e quê, e de eu ser o tradutor português, e patati, e patata. E eu, depois de hesitar um bocadinho, disse-lhe que sim. Afinal, sei bem o que é, por já ter passado por isso, um tipo ter espaço numa publicação (no meu caso era jornal) para encher e andar a bater com a cabeça nas paredes.

"Então está combinado," disse-me ele, "passo por aí no dia tal para falar contigo e tirarmos umas fotos."

"Fotos?," digo eu. "É mesmo preciso?"

"Pá, isto é uma revista. Sabes como é."

Pois sabia, sim senhor. Pronto, está bem, combinou-se o encontro, achando eu que ia ficar com a feia carantonha a decorar uma página central ou duas e não passar disso. Fez-se a entrevista, que ainda rendeu coisa de uma hora de conversa, tiraram-se as fotos, e foi cada um de nós tratar dos respetivos trabalhos.

Quando ele me voltou a contactar para dizer "está feito" foi logo prevenindo que a coisa tinha saído um pouco diferente do que estava previsto. Depois mostrou-me como.

Assim.


Não sei quem foi que teve a ideia (e o mau gosto, não desfazendo) de espetar com as minhas feias fuças na capa da revista, mas foi mesmo isso que fizeram. Fiquei em choque. Agora já passou um bocado; está feito, está feito, mais vale seguir com a corrente. Mas logo quando vi isto só consegui exclamar, em maiúsculas e tudo, "NA CAPA?! ARGH!"

Quanto ao texto, é o típico de uma revista ligeira. A entrevista foi muito abreviada e muito parafraseada, para a encaixar no espaço disponível e a adequar à publicação. Muito do que ali aparece não corresponde textualmente ao que eu disse, ainda que corresponda quase sempre (há duas ou três exceções, que calculo terem sido causadas por cortes) ao sentido do que eu disse. Debruça-se principalmente sobre as Crónicas de Gelo e Fogo e sobre como é traduzir os livros do Martin, as qualidades que eles têm e a comparação com a série. Mas não esperem grandes profundidades. É daquelas entrevistas boas para se ler entre um banho de mar e o seguinte.

Uma coisa é certa. Nunca, mas nunca, sonhei algum dia vir a ver-me na capa de uma revista. Já o John Lennon dizia que "a vida é o que te acontece enquanto estás ocupado a fazer outros planos." Não há melhor ilustração disso mesmo do que esta.

PS - já que estamos com a mão na massa, quem tem conta no ISSUU pode aceder ao conteúdo da revista, aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário