segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Lido: Só Vejo Sifões à Minha Frente

Só Vejo Sifões à Minha Frente é uma crónica de Ricardo Araújo Pereira sobre a política madeirense, e em especial sobre Jaime Ramos. Problema, que de resto é comum a muitas das crónicas políticas que este livro contém: refere-se a coisas que aconteceram há mais de uma década, de que já ninguém se lembra, o que tem como consequência óbvia que a piada que pudesse ter tido já se diluiu consideravelmente desde então. Mantém a graça da prosa, daquele jeito miudinho com que o RAP costuma escalpelizar os seus temas e em que costuma ter um piadão (e neste caso tem, até porque Jaime Ramos terá sido acusado de ter enriquecido a comercializar sifões de retrete, e eis o motivo do trocadilho no título), mas a graça que advém da pertinência política perdeu-se. É uma crónica divertida, mas suponho que em tempos o foi mais. Também é uma crónica bem escrita que, como é de domínio público, o RAP mexe bem na língua.

Salvo seja.

Textos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário