terça-feira, 15 de setembro de 2015

Lido: Quem Semeia no Tejo

Quem Semeia no Tejo (bibliografia) é um conto de Pedro G. P. Martins que acompanha um investigador racionalista, exterior a um mainstream que, na sociedade altamente eletrificada que este universo partilhado apresenta, é dominado por espiritualistas, gente que investiga a sério a existência e comportamento dos fantasmas, cujo surgimento, suspeita-se, está de alguma forma ligado às omnipresentes Torres Tesla. Muito ancorado às ficções de João Barreiros que servem de sustentáculo à antologia (o que nem sempre acontece), este conto mostra o momento em que o ceticismo do protagonista é posto em causa, após ser chamado a consultar o rei, que parece ter também caído vítima de uma estranha epidemia que assola a capital. A prosa, muito burilada, é agradável, e o conto é bom, sofrendo apenas de uma certa fragilidade em termos de ritmo narrativo. Torna-se por vezes um pouco arrastado, creio que em parte porque Martins procura descrever ambientes e atmosferas que talvez fizesse sentido descrever tão extensamente se o conto dele surgisse isolado dos demais, mas que no contexto desta antologia, depois de dezena e meia de outras histórias ambientadas da mesma forma, já não faz. Mas apesar disso, repito, achei o conto bom. Não tanto como alguns dos outros, mas bom.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário