quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Lido: Palavras Para o Velho Abacateiro

Palavras Para o Velho Abacateiro, a última e a maior das histórias deste livro, é uma história melancólica sobre a despedida de um tempo de sol e descoberta: a infância. Muitíssimo bem escrita, usa a violência meteorológica como complemento simbólico do momento em que, como Ondjaki escreve, "no corpo da criança um adulto começou a querer aparecer," motivo também para ser esta a história escolhida para fechar o livro. A partir daquele momento, subentende-se, "os da rua dele" irão passar a ser outros e a vida vai mudar para sempre. À casa velha, a do abacateiro, outra se irá seguir, e o momento é doloroso, como não poderia deixar de ser.

Não sei bem se esta será a melhor das histórias do livro, mas é uma história muito boa, que certamente está entre as melhores e, ao rematar o livro num ponto alto (ainda por cima imediatamente antecedido de outro ponto alto), mostra a inteligência do autor. Isto foi realmente bem feito, caro Ondjaki. Sim senhor.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário