domingo, 7 de agosto de 2016

Lido: Contingência, ou Tô Pouco Ligando

Contingência, ou Tô Pouco Ligando (bibliografia) é um magnífico conto de Martha Argel que, a propósito da muito ciencioficcional ideia dos universos paralelos, do multiverso, segundo a qual cada minúscula alteração, cada instante que algo se atrasa ou adianta, cada decisão que acontece de forma levissimamente diferente, corresponde à criação de um universo inteiro, idêntico em tudo ao original menos nessa insignificância, a propósito dessa ideia, ia eu dizendo, cria uma história extremamente crítica da forma como o seu país, o Brasil, lida com o ambiente, e ao mesmo tempo descreve de modo muito didático o que pode resultar das decisões que na aparência menos importância têm.

Esta é uma história que, apesar de todo o sumo que tem, poderia perfeitamente não resultar. Afinal, viola todas as regras que se ensinam por aí nas escritas criativas. E no entanto resulta na perfeição, em grande parte devido à forma como é contada, como uma conversa, num texto fluido e cheio de ritmo, que deambula pela narrativa aparentemente sem rumo firme, o que o torna sempre surpreendente, sempre interessante. E o resultado é, repito porque me apetece, muitíssimo bom. Devia ser muito lido, este conto.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário