terça-feira, 1 de novembro de 2016

Lido: Os Cofres de Kalvbard

Os Cofres de Kalvbard (bibliografia) é mais uma noveleta de ficção científica altamente distópica de Telmo Marçal. Desta feita, o tema é agrícola. Estamos, claro, no futuro e a trama serpenteia entre um grupo de pessoas que procura sobreviver cultivando a terra com sementes obtidas fora dos circuitos corporativos e patenteados de comercialização dessas coisas, portanto ilegalmente, e os Cofres de Kalvbard, um armazém de biodiversidade profundamente enterrado no Ártico norueguês, onde sementes são guardadas para uso das gerações futuras, caso haja necessidade. Passando por vários outros sítios.

É mais uma história bem desenvolvida e extremamente cínica, como é hábito no autor, retratando um mundo inteiramente nas mãos de corporações desprovidas de qualquer sinal de escrúpulos, que não se detêm perante nada, nem do assassínio, nem do genocídio, para levarem a sua avante. Para quem tem dificuldades de compreensão, Goebbels, o próprio, ainda que em versão razoavelmente virtualizada, faz a sua aparição.

Algumas das histórias do Telmo Marçal podiam perfeitamente chamar-se "histórias do TTIP". Porque é para a sua concretização que este tipo de acordos corporativistas nos encaminham. E por isso, lê-las funciona como alerta.

Leiam-nas, pois.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário