sábado, 27 de maio de 2017

Lido: As Velhas São o Diabo

Num livro como este, a série de contos fantásticos não podia durar para sempre. Três seguidos já não foi mau. Ao quarto conto, cá entramos finalmente em territórios realistas pela mão de João de Araújo Correia e, apesar de o título fazer referência a uma entidade mitológica, nada nesta história a leva a sair do mais puro mainstream.

As Velhas São o Diabo é um conto irónico em ambiente de tragicomédia sobre um homem novo que casa por interesse com uma velha, que toca de seguida a negligenciar porque o que realmente lhe interessava era fazer negócio. Com o dinheiro da velha, naturalmente, apesar de depressa começar a ampliá-lo. Mas a negligência vai ter resultados devastadores para ele e para a família, o que não deixa de ter o seu quê de moralista.

É um bom conto, sim senhor. Escrito num estilo enxuto, sem grandes arrebiques literários, mas contado com segurança. Um conto sobre o amor, o desamor, o ciúme e a ambição. Sobretudo a ambição. Há nele qualquer coisa de faca e alguidar, mas Correia escapa-se ao mau gosto inerente a tal coisa através de uma sobredade que não cede a exageros. Não pertencendo ao tipo de literatura que mais me costuma agradar, não posso dizer que me tenha desagradado. Leu-se bastante bem.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário