quarta-feira, 6 de junho de 2018

Lido: Coisas Caem de Sua Boca

Ao começar a ler Coisas Caem de Sua Boca, mais um daqueles mistos de conto e poema que Luiz Bras por vezes faz, lembrei-me intensamente dos contos da série das Ratazanas, publicados no Infinitamente Improvável. Mas ao contrário destes, de cujas bocas só caem ratazanas, nas personagens de Bras o que salta boca fora pode ser de tudo um pouco, e portanto essa lembrança depressa se desvaneceu, o que foi auxiliado pelo tema ser também bem diferente, não a política e os seus discursos ocos ou enganadores, mas discussões conjugais e tudo aquilo que é arremessado pelo ar em todas elas.

É bom? É bom, sim, mas não me enche as medidas. E é fantástico? Sim, se encararmos o prodigioso vomitório ao pé de letra e não como hipérbole. Não se pelo contrário. Para efeitos de wiki vou preferir sim.

Textos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário