terça-feira, 30 de novembro de 2004

Respostas a comentários - Sinais dos Tempos

Bem, antes de mais, obrigado a todos os comentadores que foram deixando pedacinhos de prosa durante a minha semi-ausência primeiro e depois ausência verdadeira. Porque não respondi nas caixas de comentários em tempo útil, vou agora responder no corpo do blog a alguns desses comentários. Começo pelos comentários ao post Sinais dos Tempos.

O post era irónico, sem incluir grandes reflexos daquilo que eu penso sobre o assunto. Limitava-se a ironizar sobre o facto conhecido de que a bíblia sofreu inúmeras alterações ao longo dos seus muitos séculos de existência, com erros de tradução, imprecisões, omissões e acrescentos a funcionarem quase como um processo de mutação e de adaptação (lenta e incompleta) do texto aos tempos.

O post também tinha qualquer coisa de exasperação com o rumo que os assuntos ligados à religião têm seguido nos últimos anos, com o ressurgir de todos os fanatismos e fundamentalismos e um clima quase medieval a invadir algumas consciências e a afectar discursos e práticas políticas em países supostamente já livres de tais pragas. Este projecto da bíblia manuscrita parece-me precisamente isso: uma coisa medieval que procura fazer de todos nós descendentes directos dos monges copistas de antanho. Não me oponho a que Sampaio, por mais ateu ou agnóstico que seja, esteja presente em cerimónias religiosas. Já me incomoda que ele, como representante do organismo laico que é o estado português, participe activamente dessas cerimónias, mas também não me oponho, propriamente. Digamos que aceito o facto com algum incómodo. O que me chateia é somar-se o medievalismo da bíblia manuscrita à participação activa nesse projecto de alguém com o cargo de PR. Isso sim, chateia-me. E não me interessa nem um bocadinho saber qual o trecho que ele copiou. Não acho uns mais adequados que outros. É o princípio que me importa.

Sem comentários:

Enviar um comentário