quarta-feira, 12 de maio de 2004

A Lâmpada Mágica apresenta...

Há dias, houve aqui na Lâmpada um post sobre fast fiction. Por outro lado, já toda a gente terá ouvido falar de pulp fiction. Também existe a science fiction e uma coisa chamada flash fiction.

Por outro lado, há a spamesia.

Pois, meus caros, a partir de agora, passa a haver a

spam fiction


E quais são as regras do jogo?

São semelhantes, mas não iguais, à spamesia. Tal como na spamesia, a origem da spam fiction é o spam. Tal como na spamesia, também a spam fiction pretende ser conteúdo regular aqui na Lâmpada. Tal como na spamesia, também o resultado da spam fiction, publicado na Lâmpada, deve ser considerado não mais que um esboço de qualquer coisa que, na maior parte dos casos, irá exigir mais trabalho para ser obra. Mas as semelhanças acabam aqui. Há a diferença óbvia de a spam fiction não ser poesia mas sim ficção, mas há mais: ao contrário da spamesia, a spam fiction terá, em princípio, uma periodicidade semanal. Ao contrário da spamesia, a spam fiction tem objectivo traçado à partida: um livro de contos a ficar pronto (pronto para ser retrabalhado, entenda-se) ao fim de um ano, o que implica 53 contos e tem como consequência que eles não poderão ser muito grandes (com cerca de 2000 palavras de tamanho médio, o livro resultante terá à volta de 300 páginas, o que já é um belo livro). Ao contrário da spamesia, que obrigava a que o título do spam fosse o título do spamema, a spam fiction pode ser inspirada por qualquer das características do spam, e o título é consequência do resultado e não do spam propriamente dito. E ao contrário da spamesia, a spam fiction terá, quando eu achar necessário, posts "anexos" em que explicarei alguns conceitos a "não iniciados", uma espécie de mini-guias de leitura.

Novidade? Nem por isso. Este tipo de séries de ficção online tem um percursor de grande nível: o Michael Swanwick, com os seus contos da tabela periódica. Antes de arrancar a spamesia, pensei em fazer qualquer coisa do género, mas achei que não tinha estaleca para fazer ficção tão regularmente e desisti. Entretanto, o Gabriel Bozano meteu-se num projecto semelhante (que parece que parou entretanto — pelo menos não há nada online no site dele), e eu, há cerca de dois meses, resolvi que depois da spamesia iria mesmo tentar uma coisa deste género. Entretanto, o Luís Filipe Silva teve uma ideia parecida, mas que parece ter engasgado logo no arranque.

Quanto a mim, vamos a ver que tal me saio. O balanço é daqui a um ano.

Sem comentários:

Enviar um comentário