domingo, 2 de janeiro de 2005

2005

Diz o Cachapa:

Ia escrever: "2005 não poderá ser pior", mas vêm-me à memória as imagens trágicas em directo dos paraísos para ocidentais. E todas as certezas caem por terra. Mesmo as que se referem à importância das coisas que por aqui se discutem. Todos os sobreviventes do maremoto diziam "estou vivo e isso é que interessa". Que nos fique a lição para o ano que começa.


Não podia estar mais de acordo.

Mas, por outro lado, quando paramos de tentar alcançar algo mais, paramos de ser humanos. A insatisfação com o presente é uma das mais importantes coisas que nos mantém de pé. No momento em que a vida é posta em causa, é ela a coisa mais importante, mas assim que a ameaça passa um pouco outras coisas surgem no topo das prioridades. A dignidade. A justiça. O futuro. O modo como seremos lembrados - e se seremos lembrados - quando a vida se nos esgotar. Essas coisas.

Então, se calhar, e afinal de contas, concordo discordando...

Sem comentários:

Enviar um comentário