sábado, 15 de janeiro de 2005

Alguns factos do mundo da Lua

Em Fevereiro de 1966, a sonda soviética Luna 9 foi o primeiro objecto de origem terrestre a pousar suavemente na superfície de outro mundo, depois de uma outra sonda da série Luna ter sido o primeiro objecto lançado da Terra a esmagar-se contra a Lua. Ambas transformaram o satélite da Terra no primeiro corpo celeste a ser quase directamente visitado pela humanidade. A visita directa ficaria para poucos anos mais tarde.

Em Dezembro de 1970, a Venera 7, também soviética, foi a primeira sonda a pousar suavemente na superfície de Vénus, também depois de várias sondas se terem esmagado contra essa mesma superfície. Vénus tornava-se, assim, no segundo corpo celeste visitado por engenhos oriundos da Terra.

Em 1971, foi ainda soviética a primeira sonda a descer suavemente sobre a superfície de Marte, mas quase não conta porque a sonda Mars 3 só funcionou durante 20 segundos depois de atingir o solo. Seja como for, foi essa sonda que transformou o planeta vermelho no número 3 desta série, embora tudo aquilo que dele já sabemos hoje, devido a pousos posteriores, faça com que mais pareça o número 1.

Seja como for, foi preciso esperar 30 anos, até Fevereiro de 2001, para se encontrar o número 4 na série de mundos onde sondas humanas pousaram de forma suave, e desta vez não se tratou nem de um planeta, nem de um satélite: tratou-se do pequeno asteróide 433 Eros, onde ainda se deve encontrar em boas condições, mas sem energia, a sonda NEAR Shoemaker, da NASA, que nem sequer foi concebida para a proeza.

E agora, 2005 e um imenso salto até às paragens longínquas dos planetas gigantes trouxeram-nos o número 5, a lua de Saturno Titã. Trouxeram-nos também a estreia da ESA nestas andanças e nestes pioneirismos. E fecharam a lista dos corpos relativamente pequenos com atmosferas relativamente densas onde é relativamente fácil abrandar um veículo com pára-quedas. Os próximos pousos serão mais complicados.

Mas este, é histórico. Ao todo, é só o quinto, mas é o primeiro em muitos detalhes.

Sem comentários:

Enviar um comentário