quinta-feira, 25 de janeiro de 2007

Spam educativo

Nunca pedi à Maxideia que me mandasse coisas. Mas a Maxideia resolveu começar a mandar-mas. Não sei se a Maxideia encontrou o meu antigo endereço de correio eletrónico nalguma lista de endereços vendidos a spammers por um preço módico que a Maxideia terá comprado ou coligido, se alguém, bem ou mal-intencionado, resolveu fornecer à Maxideia esse meu endereço, se o arranjou por outro meio qualquer. O que sei é que não fui eu quem o deu à Maxideia. Logo, o que a Maxideia me manda só pode ser qualificado duma forma: spam. Sim, porque se os senhores da Maxideia não sabem eu explico que um email não-solicitado que contém "uma forma de ser removido" é tão spam como um que não a contém, até porque, explicando de novo algo que o pessoal da Maxideia está decerto farto de saber, a esmagadora maioria desses "processos de remoção" não passam de instrumentos de phishing (anzóis, portanto, não é, Maxideia?) e/ou formas de validar os endereços.

Nada comprarei nunca à Maxideia, como é evidente. Por princípio, não compro a spammers porque a única razão para que a praga se perpetue (e, pior, cresça) é que há quem ceda e caia na esparrela. Só é possível acabar com práticas de spam como a da Maxideia fazendo com que o envio de spam não seja rentável. Isso pode fazer-se de duas formas: não comprando nada às Maxideias deste mundo, e divulgando que empresas como a Maxideia estão envolvidas na prática de spam, gerando assim publicidade negativa. é que o spam é ilegal, sabem? E uma empresa, como a Maxideia, que está envolvida num tipo de atividades ilegais é uma empresa que me é imediatamente suspeita de facilmente se envolver noutros tipos de atividades ilegais. Um spammer, como a Maxideia, fica imediatamente marcado na minha agenda como alguém indigno de confiança. Alguém que, provavelmente, não terá escúpulos para violar a ética de quaisquer outras formas que ache conveniente (ou lucrativo).

E vem tudo isto a propósito de quê? Acordei para aqui virado?

Não. é que hoje recebi mais um dos spams da Maxideia. Um spam da Maxideia a explicar, imaginem só a lata, qual a origem da palavra... spam. Convenhamos: um spam mais educativo que a maioria.

E porque são todas estas referências à Maxideia? Chama-se google bomb, uma daquelas ferramentas do nosso tempo, que provavelmente a Maxideia também conhece. Como todas as ferramentas, esta também pode ser bem e mal usada. Há uns Queridos canalhas que usam google bombs para lançar calúnias sobre as pessoas, por exemplo, mas há quem as use para contar e divulgar a verdade sobre práticas a-éticas. Neste caso, práticas a-éticas da Maxideia.

Sem comentários:

Enviar um comentário