sexta-feira, 22 de abril de 2011

Lido: O Homem que Perdeu o Cérebro

O Homem que Perdeu o Cérebro (bib.) é um conto do Repórter X, ou seja, de Reinaldo Ferreira que, embora faça parte de um livro apresentado como fantástico (e até lhe dê o título), de fantástico tem muito pouco. É basicamente um conto de mistério e crime, escrito ao estilo típico das histórias de aventuras das primeiras décadas do século XX e tendo como personagem principal um misterioso inglês que nos primeiros contactos com o narrador (o Repórter X, claro) parece não ter os parafusos todos no lugar. A história vem a revelar-se mirabolante, metendo loucura, homicídio, roubo de identidade, enfim, um leque de peripécias dignas dos melhores folhetins. É uma história competente e que atinge os objetivos que pretende atingir, tanto na elaboração do enredo como no tratamento dado à língua. Uma história honesta e despretenciosa, que não pretende ser superlativa em nada e de facto não o é. Mas a verdade é que de fantástico não tem grande coisa. Só com grande boa vontade se poderá ver nela algum do "deixar na dúvida" todoroviano, no que toca a uma das personagens ter, ou não, perdido o cérebro conforme afirma. Só com grande boa vontade. Isso não a torna nem pior nem melhor, claro, mas faz com que cause estranheza a sua inclusão na coleção de que faz parte.

Sem comentários:

Enviar um comentário