segunda-feira, 11 de abril de 2011

Lido: O Nada e o Pouco

O Nada e o Pouco (bib.) é um conto curto de Italo Calvino, uma vez mais protagonizado pelo seu eterno extraterrestre Qfwfq. Este é muito cosmológico, regressando aos instantes iniciais do universo, logo após o Big Bang (e até antes) para contar mais um dos múltiplos desencontros amorosos de Qfwfq, que já então existia. Desta feita, ele, que só se interessava pelo tudo, resolve interessar-se por uma tal Nugkta que achava que o importante era o nada. Foi o conto de que mais me custou lembrar-me entre os que fui lendo nestes meses, o que é significativo. É que o maior problema que estou a detetar neste livro é uma certa repetição de enredos. São vários os contos em que Qfwfq se (des)encontra com uma outra entidade feminina qualquer, a qual o põe invariavelmente em causa, ou a ele, mesmo, o Qfwfq propriamente dito, ou às suas ideias. É o que acontece uma vez mais neste conto, e se isso pode ter interesse durante 100 páginas, quando chegamos à 115 já não tem muito. Em todo o caso, há também entre o humor alguma reflexão filosófica sobre, precisamente, o nada e o todo, o que pode atrair alguns leitores. Mas este leitor tem de confessar que achou este conto profundamente esquecível.

Sem comentários:

Enviar um comentário