quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Lido: «A Costureira»

«A Costureira» (bibliografia), de Hugo Rocha, é mais uma história fantasmagórica, aqui contada em modo de relato de história alheia, técnica bastante comum nas velhas histórias de fantasmas vitorianas e de que Rocha se socorre várias vezes ao longo deste livro (e que aqui sublinha, julgo, pelo uso de aspas no título). A história que conta é também bastante típica das histórias vitorianas: uma costureira é seduzida por um galã, que a enche de juras de amor, e abre-se-lhe, literal e figurativamente, mas não sem antes lhe fazer uma jura: se a traísse, nunca mais dela se veria livre. E, obviamente, é isso mesmo que ele faz, mas depressa descobre que a ideia não foi das melhores porque passa a ser perseguido por toda a cidade (a história passa-se no Porto) pelo tiquetaquear da máquina de costura.

É uma história bem construída, apesar de formulaica e já algo ultrapassada em estilo e tema na época em que Hugo Rocha a publica. O que a melhora é Rocha não a levar muito a sério, pincelando-a de humor, acrescentando-lhe essa nova camada de uma certa ironia.

Contos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário