sexta-feira, 2 de junho de 2006

A parvoíce legislativa

Lê-se, na resolução do conselho de ministros que aprova o Plano Nacional de Leitura, a seguinte "principal acção a desenvolver no âmbito do PNL":

f) O apoio a blogs e chat-rooms sobre livros e leitura para crianças, jovens e adultos.


E eu pergunto: blogs e chat rooms?! E então os sites? E as mailing-lists? E os fora? Em que é que o ficcao.online, que é um site noticioso organizado como um blog, é mais merecedor de apoio estatal do que o E-nigma? Porque é que uma chat-room qualquer no IRC, cheia de gente pateta que exkreve axim, deve ser mais apoiada que a lista [ficcao-cientifica] ou o Sci-Freaks?

Se querem apoiar conteúdos online, o que eu acho verdadeiramente útil dada a muito fraca qualidade dos conteúdos portugueses de internet e a conhecida incapacidade que têm os sites de gerar receitas próprias (embora tenha seriíssimas dúvidas quanto à capacidade do estado de distinguir o que é válido do que não é), porque não escrevem "conteúdos online" no raio do decreto em vez de discriminar conteúdos desta forma completamente arbitrária?

Em suma: que raio de parvoíce é esta?

Sem comentários:

Enviar um comentário