quinta-feira, 30 de abril de 2015

Lido: Um Tigre não Bebe Tisanas

Um Tigre não Bebe Tisanas, de Eduardo Madeira, é um texto longo no contexto deste livro (10 páginas, creio não errar ao afirmar que é o maior de todos), o que se compreende dado tratar-se de uma biografia. A de um tal José Augusto Toledo de Guimarães Luís, mirabolante personagem sempre envolvida nos mais extremistas de todos os extremismos, terrorista, mercenário, colecionador de pósteres, fundador do Partido Anarquista de Todos os Operários e, acima de tudo, mau condutor, que vai passando pela história recente de Portugal e do mundo como quem nada bruços num lago de lâminas de barbear.

É um humor cheio de nonsense, este, um humor que faz questão de brincar com coisas sérias e se alguém não gosta que se vá encher de mosquitos. Imaginação não falta ao Madeira; de tal forma que eu fiquei a perguntar a mim próprio o que lhe sairia da pena (vá, do teclado de computador) um dia que decidisse ser menos destrambelhado. E depois perguntei a mim próprio: conseguiria ele ser menos destrambelhado? Mais: teria ele algum gosto em escrever sendo menos destrambelhado?

Ri, com este texto? Sim, até ri, duas ou três vezes. Não é texto daqueles de gargalhada constante, mas é um texto divertido. Mas será mais do que isso? Não, não creio que o seja, e daí nenhum mal vem ao mundo, antes pelo contrário, talvez.

Textos anteriores deste livro:

Sem comentários:

Enviar um comentário