sábado, 17 de maio de 2003

Transformar spam em arte (11)

Quinta-feira o spam voltou ao normal e tive largas dezenas de títulos por onde escolher, incluindo um particularmente inspirador: "Bathroom thriller". Claro que acabei por escrever um meu próprio e longo

Thriller de casa de banho

Entras na casa de banho de pés descalços no frio
a sombra entra contigo, esgueirada por trás do bidé
olhas-te no espelho, pensando que aquela não és tu
a sobra esconde-se à espera que deixes de olhar para ti
despes o roupão, deixando-o escorrer para o chão
a sombra treme um pouco e estende para ti uma mão
passas água pelo rosto, palpas os seios buscando um caroço
a sombra desliza pelos ladrilhos até tocar no teu pé
desprendes o cabelo, sentes um arrepio no pescoço
a sombra envolve-te as pernas com um hálito sombrio
passas a mão pelo ventre, enroscando-a nos pêlos
a sombra chega-te ao púbis e enlaça-o num aperto
gemes, baixinho
a sombra penetra
ronronas, mais alto
a sombra penetra
soltas gritos abafados
a sombra penetra
tens um orgasmo
a sombra penetra
as mãos percorrem-te o corpo numa languidez de feriado
a sombra percorre-te as mãos em ondas de lago salgado
queres parar mas não podes, e sentes um arrepio
a sombra entra em ti, enchendo o sítio vazio
sentes rumores, pavores e coisas que não entendes
a sombra percorre-te os ossos corroendo-te a estrutura
gritas, submersa de uma onda de pânico
a sombra expande, substituindo-se a ti
desabas de repente, espalhando-te pelo chão
e a sombra vai-se embora em busca de outro agora

Sem comentários:

Enviar um comentário