terça-feira, 2 de dezembro de 2003

Spamesia (210)

(Aqueles números ali em cima começam a fazer-me alguma impressão. Olho para eles e só consigo pensar coisas como "bolas!" Mas basta de parêntesis) Domingo foi, uma vez mais, dia de spam, com 80 mensagens a forçar a entrada na minha inbox, através dos filtros. Um deles chamava-se "Free Food 5419", e foi esse o feliz escolhido para eu adulterar:

Comida livre

Quando éramos tão novos que não passávamos
de potencialidades encerradas no código genético
de uma humanidade recém-nascida, a comida
que comíamos crescia livre pelos campos.

Hoje, tudo o que comemos nasce numa caixinha
ou num pacote, e cresce alimentado à força
entre varões metálicos e comida feita em fábricas
ou adubado em longas linhas rectas sob o sol
(o único sinal de natureza que ainda vai restando)

Se a biologia dita que cada homem é o que come
que dizem do que somos os nossos alimentos?

Sem comentários:

Enviar um comentário