segunda-feira, 8 de dezembro de 2003

Spamesia 217

Ontem foi domingo, e chegaram-me 67 spams, dos quais resolvi reaproveitar um que vinha intitulado "note":

Nota

Escrevo esta nota no dia do meu vigésimo aniversário
e determino que ela me seja entregue de volta
daqui a sessenta anos

«Olá, velha carcaça
ainda te lembras de que já foste novo?
Lembras-te dos sonhos em que embrulhaste o teu futuro?
Não cumpriste nenhum, pois não?
Imagino-te como um tronco de árvore, seco
e já um pouco oco
e também um pouco louco
encurralado num mundo de tecnologia que já não entendes
Imagino-te igual aos velhos que vejo à minha volta
igual aos velhos que andam às voltas sem rumo
numa cidade de que já não conhecem as nascentes.

Olha, velho eu velho
comecei esta nota desejando aconselhar-te a morrer
porque não me imagino vivo com a vida coberta de rugas
porque não me imagino vivo com dores como as tuas
porque não me imagino vivo com saudades da vida
mas agora que aqui estou, de qualquer forma vivo
já não sei bem

Mesmo que já não haja esperança
é certo que enquanto há vida, há vida»

Sem comentários:

Enviar um comentário