segunda-feira, 20 de setembro de 2004

Testicles on Waives

Bute lá disparatar um bocadinho, com mais uma coisa que recebi via email (erros de português incluídos no pacote - não tive paciência para correcções)...

O barco tripulado pela organização portuguesa Testicles On Waives abandonou hoje a sua missão na Holanda. Tendo chegado, uma semana antes, ao limite das águas territoriais Holandesas, este grupo de homens portugueses pretendia libertar as mulheres holandesas, sendo que neste pais elas engravidam muito pouco e existe um enorme número de lésbicas. O presidente da organização, Zézé Camarinha, falara-nos da sua missão "Epá, eu adoro lésbicas... daa-se, quem é que não adora? Mas agora, desde que um gajo depois possa entrar no meio, duas mulas suecas aos pinotes e estes frouxos não entram na brincadeira? É uma vergonha pá, é o terceiro mundo. Isto lá na pátria não é assim".
O governo holandês não permitiu a entrada do barco nas suas águas territoriais, alegando que havia intenção copulatória por parte dos seus tripulantes, usando como prova o elevado nível de testosterona, evidente na cobertura em pêlo do calcanhar até aos ombros de todos os tripulantes. O Ministro da Defesa enviou mesmo uma fragata para defender o direito das mulheres holandesas ao lesbianismo. Após uma semana de intensa polémica, Zézé Camarinha, bem como os restantes membros dos Testicles on Waives, mostravam-se conformados. "Epá, que posso fazer?" perguntava Zézé "Já deixámos no nosso site informações sobre em que praias do Algarve as holandesas podem vir arranjar um macho latino. Temos pena que a deslesbianização seja criminalizada neste país. È o terceiro mundo, que mais posso dizer. Lá na praia da Rocha nenhuma lésbica dura mais de dez minutos...heh, ai não, que não...!"


Isto fez-me lembrar o defunto MacJête, não sei bem porquê...

Sem comentários:

Enviar um comentário