quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Lido: O Gigante, a Curandeira e a Lutadora de Kung-Fu

O Gigante, a Curandeira e a Lutadora de Kung-Fu (bib.), conto de Alfer Medeiros, português radicado no Brasil desde a infância, é basicamente uma história de pancadaria com substrato sobrenatural, passada no Velho Oeste americano. A parte que achei mais interessante no conto é uma certa toada de história contada por um companheiro de bebedeira a outro, talvez num saloon, algures. Infelizmente, Medeiros esquece-se frequentemente de a manter, e com isso quem perde é a sua história. E esta não tem nada de especial. O ambiente está muito bem apanhado mas não foi concebido por ele. O conto está ambientado numa cidadezinha do Velho Oeste chamada Cursed City, que serve de antecâmara do Inferno, e onde se juntam humanos de carne e osso a todos os tipos de criaturas sobrenaturais, ideia que fez parte da proposta da antologia em que este conto se insere e foi, presumo, concebida pelo seu organizador. O conto de Medeiros centra-se nas três personagens que o intitulam, as quais chegam à cidade em busca de vingança. E esta acontece num paroxismo de balas, por entre declarações como "não te lembras de todo o mal causado, vil detrator, mas os justos aqui presentes recordam-se dos atos imundos que propagaste em nossos lares."

Sem este tipo de discurso tonitruante e um pouco ridículo, com mais consistência no uso da voz do narrador, e contado de uma forma que levasse a perceber melhor as motivações das personagens, julgo que poderia ter gostado deste conto. Assim, não gostei. Tem aspetos interessantes, mas não me chegam.

Sem comentários:

Enviar um comentário