sábado, 14 de junho de 2003

Ele há cada um!...

No ano 2000, lá para o fim do ano, se bem me lembro ou em Outubro ou em Novembro, li, já não me lembro onde, a segunda ou terceira referência a esta coisa dos blogs, de modo que resolvi dar uma voltinha pela blogosfera de então, para ver o que havia.

Andei por blogs de língua inglesa, não sei bem se americanos se ingleses, andei por blogs brasileiros, duvido que tenha dado com algum blog português mas até é possível, enfim, passeei um bocado.

Deparei com uma série de páginas inconsequentes, onde quase não se escrevia nada de interesse, e das quais escorria EGO em doses absolutamente desproporcionadas. Eram páginas construídas em torno dos umbigos dos seus autores, e onde o mundo exterior a esse umbigo espreitava muito a medo, sendo rapidamente enxotado de volta à copa ou ao quarto da criada. Eram também páginas em geral muito mal escritas, com erros ortográficos e tudo.

Encolhi os ombros perante tal desperdício de electrões e afastei-me da blogosfera durante os dois anos seguintes.

No fim do ano passado, recomecei a passear de vez em quando, por aqui e por ali, e para minha surpresa, no meio do imenso mar de EGO que já esperava encontrar, lá fui encontrando também um ou outro blog que fugia da mais completa inutilidade, escrito por gente com algo a dizer para lá das ruminações umbiguistas do costume.

Começava a melhorar, a minha opinião dos blogs.

Até que em Abril, depois de dois amigos terem também embarcado na onda, resolvi experimentar. Afinal de contas, a opinião negativa mantinha-se, mas não é propriamente inteligente falar-se mal daquilo que se desconhece. E eu, muito embora conhecesse aquilo que tinha lido, não fazia a mais pequena ideia do que significava fazer mesmo um blog. Tanto quanto eu sabia, podia haver uma característica qualquer que ajudasse a fazer dos blogs... aquilo.

O último mês e meio tem sido de experimentação. Aprendi uma série de coisas que não poderia ter aprendido sem experimentar, portanto, por aí, ainda bem que me meti nisto. Reparei, por exemplo, que se criam interacções sociais curiosas que mimetizam as da vida real. Sabia que isso acontecia com outras formas de comunicação electrónica, como o IRC ou o email, mas nos blogs a coisa é subtilmente diferente - o meio influencia a comunicação.

A opinião que faço dos blogs voltou a cair com a turbulência por que passou a luso-blogosfera nos últimos tempos. O nível a que desceram, por exemplo, alguns dos comentários dos leitores do Blog de Esquerda é absolutamente inqualificável. Faz lembrar os newsgroups nos seus piores dias. Eu cá, assisti de fora. Não há paciência para brincadeiras de crianças.

Mas eis que o inevitável se mostra inevitável. Eis que me sai na rifa um Umbigo aborrecido. Fã de uma tal Cora Rónai, cujo blog internETC apareceu no endereço do blog do Cachapa, a criatura desata a queixar-se um pouco por todo o lado de que o Blogo só dá destaque a "disparates" e a "imbecilidades". Aqui, no blog dele, no outro blog dele e não fui ver se também nos outros dois blogs que pelos vistos também são dele porque paciência tem limites.

Alguns egos é que parece que não. O indivíduo tem, aparentemente, 4-blogs-4, e pelo menos em dois deles se queixa de eu ter chamado "treta" ao internETC. Quanto a este, sigam o link ali em cima e avaliem. É precisamente um daqueles blogs que me afastaram da blogosfera em 2000: EGO por todo o lado, montes de fotografias ronronantes cheias de gatos, servindo como fórum para ajustar contas privadas, enfim, o rosário completo. Parece que a senhora é colunista respeitada no Brasil. Bem, nós também cá temos a Filomena Mónica, portanto isso não quer dizer grande coisa.

Em todo o caso fui, pacientemente, respondendo às queixas do homem. Expliquei-me pacientemente ali em baixo na caixinha de comentários, fiz copy-paste para a caixinha de comentários de um dos blogues dele e de novo para a caixinha de comentários do outro. Como é da natureza do copy-paste, não alterei uma vírgula. Curiosamente, o tipo resolveu apagar a minha resposta de um dos blogs, ainda permanecendo, sabe-se lá por quanto tempo, no outro. Parece que isso é sinal de má-criação segundo a etiqueta bloguiana. Não sei bem, sou novo nisto.

Os blogues em questão são um tal "Binoculista" e um tal "Meu Problema é Sexo". Resisto à tentação de brincar com o título deste último, ainda que com alguma dificuldade. Mas não resisto à tentação de fazer algumas citações. No Binoculista pode ler-se pérolas como:

Penso que o blogo.no.sapo tem muita culpa em dar destaque apenas a alguns blogs e ignorar outros.
São sempre os mesmos a serem destacados. Ao menos no "posto de escuta" deveriam ter escrito algo a respeito daquele meu post acerca dos blogs portugueses e brasileiros.


ou:

Novos Blogueiros portugueses, a maioria convencidos e herméticos.
O meu post sobre a comparação entre blogs portugueses e blogs brasileiros, mereceu o destaque e a referência de vários brasileiros.


ou:

Os blogs não são uma coisa, assim, tão recente.
Portugal é que é um país de atrasados.


Como é que Portugal não há-de ser um país de atrasados se ninguém presta atenção ao homem? Toda a razão! Como é possível ignorar-se tal luminar, tal visionário, tal pioneiro da nova fronteira? Dêm-lhe já uma comenda! E, já agora, a mim também, por ter a visão de lhe dar a importância devida!

No outro, o tal do problema, pode ler-se isto:

A roupa suja, no que se refere aos arrogantes e snobes blogueiros portugueses, será de agora em diante, lavada preferencialmente num outro blog que não me faça sentir vergonha junto de vocês, meus amigos brasileiros


e logo a seguir, lê-se isto:

E do lado da blogosfera portuguesa, o que temos ?
Esta imbecilidade aqui (a "imbecilidade" deste vosso criado), que mereceu até destaque:


Admiro a coerência, admiro a boa educação, enfim, admiro. Fiquei fã. Estas pérolas têm de ficar gravadas a fogo nos anais da blogosfera. Alvíssaras! Hossanas! Parabéns!

Sem comentários:

Publicar um comentário