segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Flor do Trovão, um apanhado

Então vamos lá fazer um pequeno apanhado daquilo que se foi dizendo na web sobre o meu conto na Imaginários 2. Se souberem de mais textos disponíveis com opinião agradeço que avisem nas caixas de comentários, pelo twitter ou pelo facebook.
  • Rober Pinheiro, no Aguarrás e no seu blogue, publica um longo parágrafo sobre o conto em que o tom geral é de apreço;
  • Marcelo Augusto Galvão, no Galvanizado, também parece ter gostado; pelo menos diz que "narrativa, personagem e cenário combinam com perfeição neste conto";
  • Ana C. Nunes, na Floresta de Livros, dá-lhe 7 valores, o que na sua classificação corresponde a "bom". No post dedicado ao conto elabora mais: "termina mais que satisfatoriamente, mas poderia ter sido ainda mais desenvolvido, a nível de personagens, mas aparte disso está muito bom." Uma coisa em que reparei é que a Ana o categoriza como fantasia. Achei curioso;
  • Daniel Borba, no Além das Estrelas, também gosta: acha-o "um dos melhores contos da coletânea";
  • Antonio Luiz M. C. Costa, na Carta Capital, escreveu um texto que parece estar agora sob acesso restrito. Contudo, ainda se consegue recuperá-lo através da cache do Google, e sobre o meu conto diz o seguinte: "Flor do Trovão, de Jorge Candeias desafia o leitor a se pôr na pele de um alienígena sem nada de humano, em um mundo estranho e primitivo. É uma história para leitores dispostos a enfrentar uma ficção científica experimental e especulativa, que busca questionar mais que divertir." Também parece ter gostado, portanto;
  • Como nestas coisas nunca há unanimidade, Cristina Alves, do Rascunhos, destoa: acha que o conto "poderia ter sido engraçado, mas falhou na concretização ao se manter demasiado superficial";
  • Igor "Valente", na RedeRPG, parece ter gostado do final mas não tanto do resto: "Carregado em uma linguagem poética grandiloqüente, o conto direciona o leitor a um determinado caminho e, de repente, puxa o tapete, com um final inesperado. Ponto para ele!" (obrigado pelo toque, Marcelo);
  • Eduardo Carvalho, do Portallos, parece também ter gostado bastante, em especial do final. "Um grande destaque da coletânea," diz, "com um final que me agradou muito. Quando pensei que caminhava para o obvio, Jorge Candeias virou para mim e disse 'Rá! Pegadinha do malandro!';
  • Junior Cazeri, no Café de Ontem, dá ideia de não ter gostado muito, embora não ache a história má. Diz que "não é uma leitura fácil" e que não é "chegado a lições de moral empacotadas e embaladas", mas que "a história não é ruim, apesar de não ser para todos os gostos." E, tal como a Ana da Floresta de Livros, também classifica o conto como fantasia.
E não conheço mais nenhuma resenha ou opinião do Imaginários 2 que fale do meu conto. Se souberem de alguma, repito, sou todo ouvidos, e o post será editado em conformidade.

1 comentário:

  1. Tem também uma resenha na RedeRPG, escrita por Igor "Valente":

    http://www.rederpg.com.br/portal/modules/news/article.php?com_mode=nest&com_order=1&storyid=6762

    ResponderEliminar