domingo, 29 de agosto de 2010

Lido: Daniel Webster e o Diabo

Daniel Webster e o Diabo (bib.) é um conto de S. V. Benét e uma das suas obras mais conhecidas. Trata-se de mais uma de um sem-número de histórias que regressam ao mito alemão de Fausto. Aqui, quem faz um trato com o diabo é um agricultur de New Hampshire que, ao aproximar-se o momento em que o prazo do acordo expira, começa a acobardar-se e vai procurar por todos os meios fugir-lhe. Para tal, contacta Daniel Webster, um advogado famoso, dotado dum talento invulgar para o seu ofício. Segue-se um julgamento (na cozinha do lavrador), para o qual o diabo, ele próprio com vastas aptidões para a advocacia (como é público e notório, aliás) escolhe um júri composto por algumas das mais infames personagens da história americana. Por este punhado de linhas já dará para entender que se trata duma história de fantasia que serve também como forma de denunciar alguns dos atos mais pútridos da história e da sociedade americanas, aqui e ali salpicada de um humor sombrio. Provavelmente é essa a principal explicação para a sua fama, e para os prémios que recebeu. Mas não a única, pois muito embora o conto não me tenha convencido por inteiro, até porque o mito de Fausto já está explorado até à exaustão e histórias como esta já não surpreendem ninguém, é sem dúvida bom.

2 comentários:

  1. meu deus! você, se me permite, é um autêntico escritor! como consegue ler tantos livros? excelente muadiê :))

    ResponderEliminar
  2. Nem leio assim tantos livros. Leio é muitos contos, e nos últimos tempos muitos contos muito curtos. Livros, para já, em 2010, anda só à volta dos 30.

    ResponderEliminar