segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Lido: O Gato Preto

O Gato Preto (bib.) é uma das mais conhecidas histórias de horror de Edgar Allan Poe. E é uma daquelas histórias cuja fama é inteiramente merecida. O protagonista e narrador é um homem que se vai lentamente afundando no alcoolismo, na raiva e na violência, primeiro dirigidas contra o gato até que acaba por enforcá-lo, mais tarde com resultados bem mais graves, especialmente para a mulher. Fica no ar a impressão de que talvez haja forças sobrenaturais em jogo, em particular depois do primeiro crime contra o gato (sim, é este o gato preto do título), mas o narrador não é fiável e o autor, habilmente, evita limpar por completo os pratos em que deixa o assunto. A casa é consumida por um incêndio, que pode, ou não, ter tido origem na vingança do espírito do gato morto... pelo menos é o que a silhueta de um gato que surge numa parede enegrecida pelas chamas deixa entrever. E mais tarde o narrador encontra um segundo gato, em tudo igual ao primeiro menos numa mancha branca que tem no peito. Este segundo animal vai funcionar ao longo do resto do conto como corporização da consciência e da culpa... ou então como uma emanação do espírito vingativo do gato morto. É um conto bastante complexo na sua aparente simplicidade e também por isso muitíssimo bom.

Sem comentários:

Enviar um comentário