domingo, 8 de agosto de 2010

Lido: A Tia de Seaton

A Tia de Seaton (bib.) é uma noveleta de Walter de la Mare que, como o próprio título indica, gira à volta da tia de um tal Seaton. Este é um colega de faculdade do narrador, um rapaz tímido e insociável que, por qualquer motivo que escapa ao narrador, o escolhe como seu amigo mais próximo durante os anos de estudo. Ao ponto de o convidar a ir passar uns dias consigo a sua casa. Seaton odeia a tia (na verdade a mulher não é propriamente uma tia, como se vem a descobrir), e a maior parte da história consiste no narrador a procurar levar o amigo a ter alguma sensatez, enquanto Seaton vai atribuindo à tia as vontades mais escabrosas. O narrador não acredita em metade do que lhe é contado. Mas o desfecho da história não vai ser bem o que ele esperava e, à boa maneira do fantástico todoroviano, vai deixar no ar a dúvida sobre se haveria de facto ali algo de aterrorizador ou até sobrenatural.

É uma história em que demorei a entrar mas, uma vez "lá dentro", acabou por me agradar bastante. Apesar da tal mania muito anglo-gótica de fazer com que tudo se passe entre a alta burguesia e a aristocracia, claro. Mas isso é mais feitio do que defeito e, por mais que me irrite, tenho de lhe dar desconto. O conto é bom.

Sem comentários:

Enviar um comentário