quinta-feira, 28 de julho de 2011

Lido: Pela Sombra Morrerão

Pela Sombra Morrerão (bib.) é uma novela de horror vampírico de Carla Ribeiro da qual, digo logo à partida, não gostei. Não que não tenha os seus pontos de interesse, nomeadamente, e muito em especial, a forma como o mito do vampiro é usado como alegoria de algo bem mais próximo e bem menos fantástico: os maus tratos domésticos, o abuso, sexual ou não, das pessoas mais frágeis num núcleo familiar, o abandono da criança ao predador por uma mãe sem força para se lhe opôr, etc.

Com estes ingredientes, que estão lá por baixo de uma história de vingança entre vampiros que acaba por ser o menos interessante ou relevante da novela, esta podia ser uma história com uma força tremenda. Infelizmente, algumas fragilidades de texto e de construção da narrativa não lhe permitiram desenvolver todo o seu potencial.

O texto é entravado por um excessivo pendor para a repetição. Só para dar dois exemplos, em dois parágrafos razoavelmente curtos da página 17 aparece duas vezes a palavra "estranhamente" e mais duas vezes a palavra "estranho" e são inúmeras as ocasiões em que surge "seu" (ou variantes) em situações em que a sua omissão em nada prejudicaria o texto.

Quanto à narrativa, o problema é desenvolver-se a história em dois tempos diferentes, separados por algumas décadas, sem que, muitas vezes, os saltos temporais estejam claros. Foi frequente dar por mim a pensar "Espera, isto aqui passa-se quando?" antes de conseguir situar-me. Este tipo de texto não linear presta-se a usos literariamente interessantes mas exige um domínio da técnica narrativa que Carla Ribeiro, pelo menos nesta obra, não mostrou possuir.

De modo que não gostei da novela, embora imagine que leitores (e acima de tudo leitoras) mais ligados ao lado gótico da vida e/ou com histórias pessoais em que a obra reverbere talvez lhe encontrem suficientes motivos de interesse para darem por bem empregue o tempo gasto a lê-la.

Sem comentários:

Enviar um comentário